top of page
banneriptu_2024Prancheta-1.png
  • Info Serrinha e Região

Secretária de Educação de Serrinha esclarece queda nos pagamentos das bolsas de estágio

Representante da comissão dos estagiários lamentou não terem sido avisados sobre o Decreto antes da publicação.


Confirmando o que foi informado pelo vereador Alex da Saúde na noite da última quinta-feira, 21, alguns edis estiveram reunidos na manhã desta sexta-feira, 22, com a secretária de Educação de Serrinha, Maria Betânia Pereira, e com representantes dos estagiários onde o tema principal foi a redução dos pagamentos das bolsas anunciada em decreto publicado no Diário Oficial.


Em entrevista à TV Eventos, a secretária de Educação, Maria Betânia Pereira afirmou que houve um entendimento por parte da comissões que participaram da reunião. "A Comissão que esteve aqui entendeu. De fato faltou uma comunicação com eles, mas foi também pela questão emergencial. Houveram cortes anteriormente, mas quando recebemos a notícia do repasse do final do mês agora percebemos que não daria para cumprir com o pagamento em dia e cumprir com a folha de pagamentos, então houve a necessidade de reduzir os valores até mesmo para evitar um desgaste maior com demissões".


A secretária confirmou o que foi explicado em entrevista anterior pelo prefeito Adriano Lima, e afirmou que as reduções ocorreram devido à queda nos repasses federais. "A gente já tinha dialogado antes da reunião procurando estratégias e pensando até em melhorias para o ano de 2024 das formas das novas contratações porque o que aconteceu de agosto para cá nós não estávamos esperando, tanto que nós tínhamos uma folha de pagamento em 2022 com valores abaixo do valor que começamos esse ano, e esse valor que as pessoas estão questionando era o valor pago em 2022, por exemplo R$ 750 para 30h ensino superior. O prefeito pensou em melhorar esse valor, passou para R$ 1.200, mas a gente não esperava essas quedas das arrecadações".


A secretária afirmou que com a queda na arrecadação foi necessário fazer ajustes para poder cumprir com as obrigações. "Temos todos custos de manutenção das escolas, temos que equilibrar as contas porque senão a gente não consegue finalizar o ano com nossas contas quitadas e os pagamentos em dia, por isso que foi necessário justamente pela queda de arrecadação".



Um dos responsáveis pela comissão dos estagiários presentes na reunião, Thiago, confirmou que houve uma falta de comunicação com eles, principalmente pelo fato do Decreto já ser sentido a partir do início de outubro. "Quando soubemos do Decreto queríamos algumas informações. Sentimos a falta de comunicação do gestor da cidade, foi publicado no dia 20, mas poderíamos ter sido informados até porque no Decreto está no dia 01 de setembro, ou seja no próximo mês já receberemos com essa redução que para mim é um absurdo. Não houve a melhora no valor, continuou com a redução, mas quero frisar que a afirmação da secretária de educação junto com a coordenadora deixou claro que haverá uma flexibilidade sobre a carga horária. Se há redução de valor tem que também reduzir a carga horária".


Sobre essa afirmação, a secretária afirmou que "Falei para eles que temos mais de 97 escolas, cada uma com sua realidade, então temos que ter muito cuidado, não se pode dizer que estamos reduzindo a carga horária, as escolas vão se adequando. Garanti a eles que teremos uma conversa com a coordenação pedagógica, com os gestores escolares justamente para ir vendo as possibilidades de ajustes dentro das escolas, mas isso não vai ser generalizado porque temos escolas que não tem condições de fazer um trabalho de redução de carga horária".


Comments


119144---BNI-728x90px-NOVA-BAHIA-SECOM-2024.png
bottom of page