top of page
banneriptu_2024Prancheta-1.png
  • Info Serrinha e Região

Roma e Jerônimo comentam indulto de Daniel Silveira concedido por Bolsonaro; ACM não se manifesta

Atualizado: 22 de abr. de 2022

Deputado foi condenado a a 8 anos e 9 meses por ameaças e incitação à violência contra ministros do STF.


Na última quinta-feira, 21, o Supremo Tribunal Federal condenou o deputado Daniel Silveira (PTB), aliado do presidente Jair Bolsonaro a 8 anos e 9 meses por ameaças e incitação à violência contra ministros do STF.


Antes mesmo da confirmação da sentença, o presidente Jair Bolsonaro assinou indulto, perdoando o deputado pelos crimes cometidos. Segundo o STF, a medida é inconstitucional pois ainda não houve conclusão do julgamento.


Logo após a medida, os pré-candidatos ao Governo da Bahia se manifestaram. Enquanto Jerônimo Rodrigues (PT) criticou a atitude, João Roma defendeu o presidente.


"Meu repúdio ao presidente pelo decreto que concedeu o benefício da graça ao deputado Daniel Silveira, condenado à prisão por ameaçar a democracia e os ministros do STF. A decisão de Bolsonaro é inconstitucional, incentiva a violência e estimula novos ataques contra a democracia", escreveu Jerônimo Rodrigues.


Já João Roma respondeu à postagem de Jerônimo defendendo a atitude de Bolsonaro. "O indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro ao deputado Daniel Silveira se pautou na defesa da liberdade de pensamento e expressão, um valor muito caro à Democracia. Violência é querer solapá-lo e contrariar o equilíbrio entre os poderes de uma República".


O pré-candidato ACM Neto (UB) não se manifestou sobre o indulto concedido pelo presidente Jair Bolsonaro ao deputado Daniel Silveira.

Comentarios


119144---BNI-728x90px-NOVA-BAHIA-SECOM-2024.png
bottom of page