top of page
banneriptu_2024Prancheta-1.png
  • Thiego Souza

Info Pets: como minimizar o estresse dos Pets durante as viagens dos tutores

Vai viajar no final do ano? Se puder, leva o pet. Caso não possa, confira dicas valiosas.


Com o final de ano se aproximando, muitas famílias estão se preparando para viajar e aproveitar as festividades natalinas e de virada de ano. Para aqueles que têm animais de estimação, a decisão de deixá-los em casa ou levá-los junto pode ser um desafio devido a ausência que muitos pets sentem dos tutores durante períodos longos e até curtos.


O Info Serrinha e Região bateu um papo com Dr. Ubério Valverde, da Clínica AnimalVet para entender como minimizar o estresse dos pets durante as viagens dos tutores.


Ao deixar o animal com algum familiar ou pessoa conhecida, o ideal é escolher alguém com quem o pet tenha contato regularmente. O veterinário destaca que isso ajuda a minimizar o trauma de ficar sem o tutor. "É um quadro muito comum isso acontecer dos tutores viajarem e muitas vezes não levarem ou não poderem levar o pet junto, e se for uma viagem de muito tempo, ficar muitos dias fora, o ideal é deixar o animal com algum familiar, alguma pessoa que tenha contato com o pet e que o animal o conheça e goste da pessoa, então isso vai ajudar a minimizar o trauma de ficar alguns dias sem o tutor".


Dr. Berinho alertou para os sinais de estresse que os pets podem manifestar quando separados de seus tutores. "O pet sente saudade do tutor, e em muitos casos eles param de comer, diminuem a quantidade de alimentação, reduzem as atividades, ficam mais quietos, deitados. Está chegando o final de ano, então o ideal para quem puder é viajar e levar o pet".



Para aqueles que têm a opção de levar o animal de estimação, o médico-veterinário incentiva essa escolha. "Viajar com o pet permite que ele permaneça em um ambiente familiar, reduzindo significativamente o estresse associado à separação. Além disso, é uma oportunidade para fortalecer os laços entre o tutor e o animal".


Quando o pet fica sob os cuidados de alguém conhecido, mesmo que seja alguém de confiança, é importante informar o veterinário sobre a situação. "Quando o pet ficar com alguém conhecido, mesmo que o animal o conheça e goste da pessoa é importante deixar o veterinário que cuida dele de sobreaviso pois caso aconteça alguma coisa ele já está ciente que o animal deu entrada pois o tutor está viajando".


O médico-veterinário destacou o uso de florais como uma alternativa natural para ajudar os pets a lidarem com medo, ansiedade e solidão. "Hoje a gente utiliza muito os florais, que são medicamentos naturais para medo, ansiedade, solidão, então eles ajudam muito. O tutor pode começar a dar ao animal antes de viajar, e quando ele viajar o animal vai estar mais calmo, então aconselhamos muito os produtos mais naturais do que calmantes".


Ao se preparar para as viagens de final de ano, os tutores devem considerar cuidadosamente o bem-estar de seus animais de estimação. Procurar ambientes familiares, reconhecer sinais de estresse e explorar alternativas naturais são medidas essenciais para garantir que os pets tenham uma experiência.


Comments


119144---BNI-728x90px-NOVA-BAHIA-SECOM-2024.png
bottom of page