top of page
banner_728X90 (1).png
  • Thiego Souza

Desportistas de Serrinha relatam dificuldades com demora para entrega do Complexo Poliesportivo

Equipamento esportivo está pronto, porém não há previsão para inauguração e entrega à população.


Principal equipamento esportivo para prática de modalidades olímpicas em Serrinha, o Ginásio de Esportes localizado no bairro da Urbis, que está fechado desde 2020 e passando por uma grande reforma por parte do Governo do Estado, tem sua reinauguração, agora como Complexo Poliesportivo e Educacional, aguardada com ansiedade por desportistas serrinhenses.


O equipamento, que ja está pronto, ainda não foi entregue, e o atraso na inauguração da nova praça esportiva vem atrapalhando e dificuldades a prática de diversas modalidades esportivas no município, que é um celeiro de craques, porém vem passando por dificuldades por não contar com um local adequeado inclusive para a realização de competições a nível nacional.


Diante da demora na entrega, e ainda sem uma previsão definida, o Info Serrinha entrou em contato com profissionais que atuam nas mais diversas modalidades esportivas do município de Serrinha para saber o posicionamento deles quanto a essa falta de respostas quanto à inauguração.



Modalidade que já deu a Serrinha diversos títulos, o basquete enfrenta dificuldades de poder treinar e até de promover atividades com alunos iniciantes. "Nossa cidade é carente com relação a quadras de grande porte e de qualidade. Com a reforma do complexo Luís Eduardo isso veio a carecer mais ainda a necessidade de quadra para as atividades esportivas da nossa cidade. Quem perde com essa demora da entrega do ginásio de esporte já reformado a dois anos quase três é a sociedade que deixa de fazer suas práticas esportivas principalmente as escolinhas de iniciação. Todos os professores das escolinhas iniciações perderam seus alunos pela demora da entrega do complexo", disse o professor de basquete Galvão.


O mestre de Taewkondo Ivan Bonfim comentou sobre o fechamento do antigo ginásio, e pede que o espaço modernizado seja entregue. "Ao longo de alguns anos nós fazíamos trabalhos e sempre utilizamos o espaço do Ginásio Poliesportivo, e depois do fechamento e início da reforma prejudicou várias artes marciais porque necessitamos desse equipamento para fazermos competições. Agora está previsto um evento que deve ocorrer entre setembro e dezembro, tem também um Seminário e gostaríamos muito que as autoridades competentes liberassem esse espaço para que a gente possa realizar eventos, tanto Taewkondo quanto outras modalidades esportivas que precisam desse equipamento".



Outra modalidade esportiva que vem sendo prejudicada com a demora na entrega do Complexo é a capoeira. "O não funcionamento daquele complexo esportivo gera um prejuízo imenso às modalidades esportivas e culturais que são desenvolvidas naquele espaço. Nós da família ACEM CAPOEIRA, por exemplo, estamos a quase vinte anos desenvolvendo aulas de capoeira e várias manifestações culturais que visam a manutenção dos valores históricos que contribuíram na formação de nossa nação, como também as questões regionais e locais. Nosso evento anual, realizado naquele complexo tem visibilidade e referência mundial, justamente por essas características descritas e, nesse processo trabalhamos com crianças, jovens, adultos e idosos. Com este espaço pronto e sem utilização, estamos exercendo nossas atividades numa garagem sem espaço estrutural adequado", disse mestre Rony.


A atleta e treinadora de handebol Raíssa Lago lamentou que o equipamento ainda não tenha sido entregue, o que vem prejudicando toda modalidade, que sempre realizava competições, ajudando a movimentar o antigo ginásio. "Para o Handebol tem sido muito difícil porque com o Ginásio tinhamos três dias de treinos, e hoje a gente consegue apenas um dia porque estamos utilizando, juntamente com outras modalidades, a quadra da Cidade Nova que fica sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação, e é muito difícil conseguir ofício lá, e somos prejudicados por conta do espaço e também pela distância e evasão dos e das atletas, e não tínhamos essa evasão quando existia o Ginásio por ser mais central. Fazíamos competições e a gente ajudava os comerciantes que trabalhavam lá nas atividades que a gente fazia. A gente não tem um espaço, não tem banheiro, vestiário. É muito triste como a gente se encontra hoje. Temos o espaço, mas não tem a utilização devida".


Outra modalidade referência em Serrinha e que também está sendo prejudicada pela falta de um local adequado para treinamentos é o volei. "Atualmente treinamos no IFBaiano e estamos entre os dez melhores da Bahia. Tínhamos a escolinha de voleibol lá no complexo poliesportivo que oportunizava, promovia a prática do voleibol para crianças, adolescentes e adultos e revelava talentos. A equipe adulta masculina treinava lá às terças, quintas e sábados. A distância do IFBA é grande, às vezes alguns não vão para os treinos em virtude disso. Esse ano estamos disputando mais uma vez e continuamos treinando no IFBaiano e ansiosos pela reinauguração do complexo esportivo", afirmou o treinador Valdivan Ramos.



O professor de futsal Evanildo Lima, do Recanto, também lamentou o fato do Complexo estar pronto, mas ainda não ter sido inaugurado e entregue à população. "Pedimos a sensibilidade do governador, dos deputados que tiveram votos em nosso município porque não pode um equipamento desse estar fechado, estamos sendo prejudicados, deixando de fazer competições na área do futsal. Esse espaço é público, é nosso, já tem um tempo que foi terminada a reforma, o Complexo Esportivo está pronto e a gente não sabe porque o governador ainda não fez a inauguração. A população de Serrinha e também da região precisa desse espaço, então a gente espera que o governador, que é um aliado da juventude, que tenha essa sensibilidade de estar abrindo esse espaço para que a gente possa estar desenvolvendo nossas atividades".


O Complexo Poliesportivo e Educacional de Serrinha ganhou o nome de Mestre Kako, em homenagem a um dos maiores capoeiristas do país que faleceu em 2022.


728x90 Interior 2.jpg
bottom of page